domingo, 28 de abril de 2013

Objetivos


Analisar  os processos de ensinagem e resultados da disciplina Educação e TIC’s  na turma de Docência do Ensino Superior. Verificando pela ótica do que realmente aprendemos para aplicar e aprimorar essa possibilidade de ensino-aprendizagem em nossas praticas futuras como docentes.
Diagnosticar, também,  que as TIC’s estão presentes em nossa cotidiana por ser um produto cultural da sociedade contemporânea – logicamente como educadores devemos estar a par dessas atualizações sociais de comunicação e linguagem. 

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Fomos Avaliados & Apredemos



  1. Erick Nazaré de Farias diz:
    Bom dia Profª Barbara, tudo bom? Gostaria de saber se as notas já foram postadas.
  2. Erick Nazaré de Farias diz:
    Boa tarde Professora Bárbara, me dê uma orientação sobre a inclusão das sondagens no site, não estou conseguindo publicar.erick_nazare@hotmail.com
  3. Elton Prata diz:
    Olá Barbara, aqui é Elton Prata, fui seu aluno de Práticas deJogos na FAAC do último Sábado ( 04/08) ,no Curso de Psicopedagogia, estou entrando em contato para você indicar mais livros sobre Jogos Operátorios e Educativos. Antecipadamente agradeço ( meu email éelton-prata@ig.com.br)
  4. Eva Bahia diz:
    olá Professora Barbara!
    Por gentileza, verifique quais destes temas seria mais interessante para trabalharmos o objeto de aprendizagem
    1- Metrolologia voltada para educação pintorizado=> Esta pode ser voltada as TIC’s associadas a didáticas ou processos de ensinagem.
    2 Aproximação da Acadêmia as práticas dos movimentos sociais
    Essas são minhas sugestões, não sei se serão acatadas pelo grupo. Mas já penso em escrever sobre o assunto futuramente, gostaria de ter sua sugestão.
  5. Rosiane Mercia Lyra Pinheiro diz:
    Barabara, me envia os slideres das aulas.
    Obrigada!
  6. Rosiane Mercia Lyra Pinheiro diz:
    Como os princípios da ética hacker podem colaborar com o novo paradigma tecnológico na educação contemporânea?
    Compreendendo o paradigma como uma norma, padrão utilizado por um tempo, uma sociedade, uma conjuntura. Com o principio hacker, o paradigma dominante era inicialmente a lei do compartilhamento, mas, tal “lei” não é acordada unanimemente com o compartilhamento livre sem custos. No novo paradigma encontramos de um lado o principio tácito, que nos induz a acreditar que, o que se paga sempre é bem melhor do que o que se pode obter sem custos financeiros.
    Se ocupando a éticada reflexão a respeito das noções e princípios que fundamentam a vida moral (ARANHA 1915; CHAUI,2005).A ética hackerentão, a meu ver, vem justamente, trazer e garantir a contribuição de maior socialização dos espaços virtuais,software livre, entre outros. Sua contribuição efetiva para a educação se dá, a partir do momentoem que os programas, bases de dados, jogos interativos e os diversos recursos tecnológicos podem ser disponibilizados na rede e/ou até vendidos, a ponto de propiciar o desenvolvimento de aprendizagem nas casas, escolas diversas e numerosos centros de integração e reabilitação por todo o mundo juntamente com a garantia de que, esse aparelhos e dispositivos não serão danificados fraudulosamente por serem obtidos de umsoftware livre, e diante de um dano, como no caso dos vírus, logo alguém contribuirá com uma vacina para saná-lo.
  7. Eva Bahia diz:
    Olá Barbara ! Por gentileza, encaminhe o material das ultimas aulas da Disciplina -Educação e Tecnologia da Informação e Comunicação.
    Docência do Ensino Superior- Turma -312
    Faculdade da cidade
  8. Valber Teixeira diz:
    Como os princípios da ética hacker podem colaborar com o novo paradigma tecnológico na educação contemporânea?
    Os paradigmas podem auxiliar na inovação de tecnologias sustentáveis e reutilizáveis, influenciando criticamente nos paradigimas educacionais influenciando na formação de individuos mais criticos e conscientes dos seus usos e consumos, visto que a produção tecnológica é responsável por grande parte das poluições e desmatamentos do globo terrestre. A ética hacker também contribui para a democratização do espaço virtual popularizando conteúdos, explorados e privados por corporações capitalistas.
    A educação contemporanea esta em fase de adaptação aos novos costumes da epoca e a tecnologia é uma linguagem que integra a forma moderna de educar, ontem a escrita foi recebida como tecnologia para a epoca de quando usavasse da oralidade. Hoje no seculo XXI muitos dos fazeres humanos estão sempre atrelados as maquinas tecnologicas dai então a necessidade de se usar de forma correta as tecnologias vinculadas a didatica e metodologias de educação, de forma a contribuir para uma melhor educação e não substituir a forma de educar.
  9. Valber Teixeira diz:
    Ética é fundamental em todas as relações humanas! Atualmente percebemos que os hacker têm favorecido o melhoramento das tecnologias como no caso do linux que mantem o seu código fonte aberto para que demais usuários possam contribuir para a atualização e aperfeiçoamento.As tecnologias da comunicação é um patrimônio da humanidade e precisa ser visto como domínio publico, e não como algo particular que gera lucros e rendimentos a pequenos grupos empresariais.
  10. Paulo Oliveira diz:
    Faculdade da Cidade
    Educação e Tecnologias de Informação e Comunicação
    Paulo Henrique de Andrade Oliveira
    É evidente a necessidade de mudanças na educação, seja devido ao novo ambiente em que a mesma se encontra, assim como, as pessoas que participam do seu processo. A interação entre sujeitos e tecnologias, assim como, a colaboração de informações, ou seja, o compartilhamento, estão cada vez mais presentes na nova forma de se comunicar. A introdução da tecnologia na educação esta pautada em grande parte nesses princípios, que fazem parte da chamada Ética Hacker. Muito pode se extrair e ser aproveitado dessa nova metodologia para ser aplicado na educação.
  11. Eva Bahia diz:
    Conforme afirmação de Nelson Pretto, Ética Hacker é em essência uma ética que trabalha a partir dos princípios da colaboração, da horizontalidade e da descentralização . A educação contemporânea é norteada pela visão globalizada do currículo , rompendo com o modelo em que o aluno não era visto como sujeito atuante e autônomo na construção de sua educação, para a educação que tem como base diferentes formas de processar o conhecimento em parceria entre alunos e professores envolvidos. Desta forma a ética hacker com sua visão colaborativa possibilita para a população, principalmente aos menos privilegiados, contato com o universo digital e seus elementos. Quando o acesso ao mundo digital é proporcionado com o intuito de auxiliar na construção do conhecimento, o aluno sai do papel de coadjuvante para protagonista, de sujeito receptor de informação para sujeito produtor de culturas e conhecimentos. Deste modo encontra-se similaridades entre os ideais Freirianos encontrados nos livros: Pedagogia do Oprimido e Pedagogia da Autonomia; com os 7 princípios da Ètica Hacker encontrados na publicação Hackers: Heroes of the Computer Revolution, em 1984, pelo jornalista Steven Levy. São estes:
    1. O acesso a computadores – e a qualquer coisa que possa ensinar algo sobre o funcionamento do mundo – deve ser irrestrito e total.
    2. Sempre se submeta ao Imperativo da Mão na Massa!
    3. Toda informação deve ser grátis.
    4. Não confie nas autoridades – promova a descentralização.
    5. Os hackers devem ser julgados por suas ações, não por critérios artificiais como diplomas, idade, raça ou posição.
    6. É possível criar arte e beleza em um computador.
    7. Os computadores podem mudar sua vida para melhor.
    Ao facilitar o acesso a informação, criando software livres com interfaces amigáveis , os hackers contribuem para uma democratização e socialização tecnológica ; que deveria levar aos profissionais da educação e de outras áreas a refletir sobre o que realmente estão fazendo para a construir uma sociedade mais justa?
    Faculdade da Cidade
    Pós Graduação- Docência do ensino Superior
    20012-8ª turma
  12. Rafaela Augusta F. Fontes diz:
    Como os princípios da ética hacker podem colaborar com o novo paradigma tecnológico na educação contemporânea?
    Atualmente não podemos ignorar o avanço tecnológico que nos ronda diariamente, e que vem sendo de grande importância para o crescimento econômico e social da população, sendo responsável também por grandes transformações que ultrapassa ter somente um computador com conexão à internet. E a ética hacker que tem como seus pilares a colaboração, horizontalidade e a descentralização, vem nos ajudando na evolução do livre acesso a informações, pois o software livre e o código aberto permitem acessar o código -fonte, permitindo que esse seja melhorado ou reutilizado em outros projetos. Com isso as tecnologias da informação e da comunicação devem ser utilizadas de forma responsável no sentido de se obter resultados satisfatórios, pois os avanços tecnológicos estão ai para serem utilizadas de forma consciente pelos indivíduos garantindo uma maior eficacia na globalização mundial.
  13. Rejane Paz diz:
    Sob o ponto de vista de que estamos vivendo na “Era Tecnológica” e que tudo que fazemos perpassa por ela, seriamos marginalizados se não usássemos a beneficio da educação, que também, já não segue as mesmas regras de décadas atras. Segundo a entrevista do professor Nelson Pretto a Ética Hacker, vem corroborar justamente para ampliação desse conhecimento é democratização do acesso livre da informação, no sentido de inclusão, usando os meios tecnológicos para educar, quebrar paradigmas e construir novos conceitos.
  14. Elaine Campos diz:
    Assim como os princípios da ética hacker promove o compartilhamento da produção e do conhecimento é possível também a colaboração com o desenvolvimento de novos métodos que integre tecnologia, em especial a internet, e os alunos para suprir as necessidades de mudança da educação contemporânea.
  15. Giselia Marques diz:
    Os princípios da ética hacker podem colaborar com o novo paradigma tecnológico na educação contemporânea devido as inovações no sistema desenvolvido pela tecnologia e inovação. Em quase todos os locais já estão fazendo uso da era digital. A ética hacker colabora criando software livre, e assim ajudam a sociedade se inteirar com esta nova forma de aprendizagem. As tecnologias estão avançando cada vez mais e ficando inovada e sendo utilizada para facilitar em parte a vida da sociedade quando é usada de modo correto.
  16. LEONARDO SOUSA diz:
    COMO OS PRINCÍPIOS DA ÉTICA HACKER PODEM COLABORAR UM NOVO PARADIGMA TECNOLÓGICO NA EDUCAÇÃO CONTEMPORÂNEA?
    EDUCANDO: LEONARDO SOUSA / ESTUDANTE DO CURSO DE DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR.
    A ÉTICA HACKER TEM COMO SUBSÍDIO PARA A EDUCAÇÃO CONTEMPORÂNEA PILARES E CONCEPÇÕES DE UMA CULTURA EDUCACIONAL LIVRE, MEDIANDO O EDUCANDO A UMA EDUCAÇÃO COLABORATIVA E CONSTRUÇÕES DE CONHECIMENTOS TECNOLOGICOS MÚTUOS DE FORMA AUTONOMA, RESGATANDO A IMPORTÂNCIA DO SER ÉTICO PARA O ESTUDO, PARA O TRABALHO, PARA A VIDA.
  17. Fábio Victor diz:
    Fábio Victor Sousa dos Santos
    Curso de Pós-Graduação em Docência do Ensino Superior.
    Local: Faculdade da Cidade – turma: 0312
    COMO OS PRINCÍPIOS DA ÉTICA HACKER PODEM COLABORAR COM O NOVO PARADIGMA TECNOLÓGICO NA EDUCAÇÃO COMTEMPORÂNEA?
    Os princípios da ética hacker prezam a liberdade de acesso, e uso da tecnologia e de suas ferramentas para todos. A educação está relacionada à vida, e as tecnologias foram chegando aos poucos, conquistando espaço e aparentemente tornando-se indispensável ao cotidiano. O uso na de tais ferramentas na educação é relativamente novo, existem barreiras a serem rompidas, muitas perguntas que ainda não podemos responder. Mas, ainda assim acredito que esta velocidade de compartilhar informações úteis, e a liberdade dos princípios da ética hacker, são ingredientes de uma educação diferente mais próxima das diretrizes da LDB, “educação para todos”.
  18. Cristina Soares diz:
    A educação tem como grande novidade para o aprendizado do alunado nesta decada o uso das tecnologias, com tudo faz-se necessario saber utilizar essa nova feramenta de forma adequada e ética, para tal os principios da ética hacker contribuem significativamente para a utilização das tecnologias de forma que contribua de fato com o aprendizado, um principio de muito valor que a ética haker propõe é a contribição, a qual em qualquer que seja área é de grande importancia.
  19. Kely Santos diz:
    Partindo do pressuposto que a ética hacker consiste em um “código de conduta” que visa propiciar a difusão democrática da tecnologia, de modo a transformá-la em algo útil à sociedade, e tendo em vista a importância da educação para a transformação social, é de extrema importância os princípios que norteiam a ética hacker, visto que proporcionam uma ação colaborativa no sistema de ensino-aprendizagem. Assim, conteúdos antes trabalhados de maneira essencialmente teórica, hoje têm sido abordados de modo a aproximar-se da realidade da geração contemporânea. Entretanto, vale salientar a importância do trabalho em conjunto de profissionais de tecnologia e de educação, a fim de que os fundamentos em que está pautada a ética hacker, efetivamente contribuam para o desenvolvimento do sistema educacional.
  20. Isabela Araújo de Oliveira diz:
    FACULDADE DA CIDADE DE SALVADOR
    Curso: Docência no Ensino Superior
    Disciplina: Educação e Tecnologia
    Aluna: Isabela Araújo
    O professor Nelson Pretto diz que a ética hacker pode colaborar com o novo paradigma tecnológico para educação contemporânea porém, é necessário que os professores estejam capacitados para isso, portanto, é preciso produzir materiais para que os professores possam usar tecnologia em suas respectivas disciplinas, lembrando que a tecnologia não esta apenas associada ao computador e internet mais sim em pequenas competências e criações populares como por exemplo o abridor de garrafas feito com um pedaço de madeira e um prego.
    Contudo pude perceber que a ética racker valoriza e nomeia tecnologia toda criação que tenha sentido e uso para as pessoas independente de esta ligada a celulares computadores ou qualquer outro aparelho eletrônico.
  21. Daniela Bulcao diz:
    As tecnologias chegaram para ficar e a cada dia estão mais inovadoras entre elas a internet e as redes sociais são os meios mais utilizados recentemente pela população sejam das classes mais populares ao mais elevado padrão social. Realmente são meios facilitadores de nossas rotinas, mas acredito que seja uma faca com dois gumes, ao tempo que ajuda também pode nos prejudica dependendo do modo que seja utilizado. Temos uma cultura internalizada de utilizar a internet apenas para fins fúteis e não para o necessário, contudo temos que encontrar uma maneira de nos adequar as utilizações benéficas das tecnologias digitais.
  22. Erick Nazaré de Farias diz:
    Entrevistado pela Revista Ciência Hoje (março, 2012) o professor Nelson Pretto responde que em essência, a ética hacker trabalha a partir dos princípios da colaboração, da horizontalidade e da descentralização. Ele afirma o que defendemos é a ideia de produzir conhecimento, de articular essa produção por meio da circulação aberta das informações. A base é dada pelo livro homônimo do [filósofo finlandês] Pekka Himanen, que define alguns dos elementos constituintes dessa ética. Esses são princípios fundamentais para a educação e para a produção científico-tecnológica. Esses elementos constituintes são: paixão, liberdade, valor social (abertura), nética (ética da rede), atividade, participação responsável e criatividade já citados anteriormente.
  23. Erick Nazaré de Farias diz:
    Augusto de Franco (2012) nos traz uma definição da ética hacker como sendo um conjunto de valores que emergem das primeiras comunidades cooperativas de programadores, que logo se materializaria nas expressões comunitárias na Internet e nas comunidades de desenvolvedores de software livre. Esses valores compreenderiam: uma revalorização do trabalho (uma nova motivação baseada no desejo de conhecimento e no prazer do seu compartilhamento, para além da expectativa de remuneração monetária) com a consequente não aceitação da separação entre vida e trabalho e a valorização da liberdade como valor fundamental (materialização da autonomia pessoal e comunitária do hacker). A expressão “ética hacker” ficou conhecida depois de Eric Raymond (1996-2001) ter concluído seu esboço de critérios axiológico-normativos para os hackers (que ficou conhecido em alguns meios como Hacker Howto) e após a publicação do livro de Pekka Himanen (2001): A ética hacker e o espírito da era da informação. Hmanen descreve os métodos de trabalho daqueles que atuam mais diretamente no desenvolvimento de software para computadores e, expandindo esse conceito, pensa ainda que essa postura hacker pode ser, em última instância, uma postura para todos os campos das atividades humanas. Himanen afirma ainda que são sete as características da chamada Ética Hacker: paixão, liberdade, valor social (abertura), nética (ética da rede), atividade, participação responsável e criatividade, todas elas devendo estar presentes nos três principais aspectos da vida, ou seja, trabalho, dinheiro e ética da rede.
  24. Raema Nascimento diz:
    Olá Bábara!
    Já enviei meu comentário, porém, não consigo identificá-lo aqui.
    Vc rceb
  25. Raema Nascimento diz:
    COMO OS PRINCÍPIOS DA ÉTICA HACKER PODEM COLABORAR UM NOVO PARADIGMA TECNOLÓGICO NA EDUCAÇÃO CONTEMPORÂNEA?
    Vivemos uma época de mudanças sociais, de inovações tecnológicas e organizacionais associadas a contextos históricos, sociais, políticos e culturais de uma sociedade globalizada e de exigência cada vez mais de conhecimento.
    A docência educacional contemporânea tem o objetivo atuar de forma a problematizar e inspirar ações para a transformação das informações que compartilhadas e sob a forma de troca, possibilitem a construção do saber.
    O hacker ético tem como alicerce os pilares: colaboração, conhecimento e liberdade, numa perspectiva de inclusão do individuo (software livre) a informações sem restrições e com qualidade. Penso o hacker ético como um ser social contributivo dessa inclusão e que partilha sua tecnologia de forma a corroborar a educação contemporânea em mais um espaço interativo de aprendizagem, ou seja, um novo paradigma tecnológico ao excluído, ao menos favorecido e a sociedade como um todo, que é o acesso livre a tudo que está acontecendo sem burocracias e discriminações, interagindo para um mundo melhor.

Lemos e Recomendamos




terça-feira, 16 de abril de 2013

Nativos Digitais


O que eles esperam?


referencial Teórico II

Jurgen habermans



Referencial Teórico I

Lev Vygotsky


Paulo Freire


Pierre Lévy

Atividade 4 Paper - Produção de Texto I


 






por: Valber Teixeira dos Santos (valber.teixeiras@gmail.com)1
Data: 09 de setembro de 2012

 Vigotsky e as Tecnologias

Educação é imprimir no individuo valores, normas, signos e hábitos, ativa ou passivamente, para ajusta-lo ao modo de vida ou características (cultura) de um determinado lugar e época. De acordo com o dicionário eletrônico Houaiss, cultura “no sentido antropológico é o conjunto de padrões de comportamento, crenças, costumes etc. que distinguem um grupo social”. Tomando esse conceito como base, tudo aquilo que historicamente modifica a vida do homem e seus costumes caracteriza-se como cultura, e a cultura é assimilada através da interação, do contato, com o outro social (Vigotsky, PS, 1988) dai internalizando tais valores sociais tornando-o característico ou educado para viver naquele lugar e época.
Cada época foi caracterizada também por suas invenções e descobertas, a exemplo disto temos a escrita que modificou o modo de vida na idade antiga, quando o primata humano passa a registrar os acontecimentos em caracteres nas paredes e em outros artefatos ficando para as gerações posteriores. No século XXI, a bola da vez são as tecnologias da informação e comunicação que trouxe mais conforto e proximidade as relações humanas, mas que por outro lado trouxe estranhezas, como tudo aquilo que é novo traz, assim as TICs se afirmaram como marco cultural e parte intrínseca da vida humana.
Uma das pertinências a cerca das TICs é o seu uso como mediador educacional nas instituições do ensino. É possível considerar as TICs como instrumentos culturais de aprendizagem? Se na escola o individuo é adestrado para a vida em grupo, então é natural que as tecnologias (característica, valores) estejam parte da educação escolar e do comportamento humano. Hoje a informática media nossa comunicação; modificou a nossa forma de agir e interagir socialmente.
É inevitável o uso de instrumentos informáticos no cotidiano atual, mandamos mensagens via celular, fazemos reuniões por conferência virtual, conhecemos pessoas nas redes virtuais, falamos ao celular, programamos a televisão para desligar, enfim cada dia que passa tudo se informatiza e inevitavelmente fazemos uso dos meios digitais e tecnológicos.
O ambiente virtual proporciona o aprendizado da língua e da cultura às vezes ate sem a mediação de um orientador humano, já que determinadas mídias e maquinas tem dotado poder de direcionar o  individuo para o objetivo proposto. Um exemplo disso são os jogos digitais que ensinam as crianças letras, cores, operações matemáticas devido à ludicidade e pedagogia associados ao jogo, media a internalização do aprendizado.

Sem o direcionamento do professor os instrumentos informáticos tornam-se meros espaços de lazer e diversão, pois o potencial de educar através das TICs cabe ao mediador humano (professor) que orienta o caminho, a relação do aluno com a máquina possibilitando a construção do aprendizado interativo e o desenvolvimento do conhecimento.

1-Formado em Ciências Econômicas pela Faculdade Católica de Ciências Econômicas da Bahia – FACCEBA, atualmente é estudante do curso de Especialização em Docência do Ensino Superior, pela Faculdade da Cidade do Salvador. 


REFERÊNCIAS:
VYGOTSKY, L. A formação social da mente. SP, Martins Fontes, 1987.
VYGOTSKY, L. Pensamento e linguagem. SP, Martins Fontes, 1988.

REVISTA: Presença pedagógica. Ed: Dimensão, vol.18, n.106. Jul./Ago. 2012.
REVISTA: História da pedagogia. O legado III. Artigo: A perspectiva vigotskiana e as tecnologias.